JOHN DONNE

 


John Donne (pronunciado "Dun"; 1572 – 31 de março de 1631) foi um poeta inglês.
Encontrados 13 pensamentos de John Donne
O amor construído sobre a beleza morre com a beleza.


John Donne
A morte de cada homem diminui-me, porque eu faço parte da humanidade; eis porque nunca pergunto por quem dobram os sinos: é por mim.


John Donne
Nenhum homem é uma ilha, completo em si próprio; cada ser humano é uma parte do continente, uma parte de um todo.


John Donne
Se te possuir em sonhos és minha, pois não há prazer que não seja representado.


John Donne
Ninguém é uma ilha em si mesmo.
Cada um é uma porção do continente, uma parte do oceano.


John Donne
Nenhum homem é uma ILHA, um ser inteiro em si mesmo; Todo homem é uma partícula CONTÍNENTE, uma parte da terra. Se um Pequeno Torrão carregado pelo MAR deixa menor a EUROPA, como se todo um PROMONTÓRIO fosse, ou a HERDADE de um AMIGO seu, ou até mesmo a sua própria, também a MORTE de um único homem ME diminui, porque EU pertenço à HUMANIDADE. Portanto, nunca procures saber por quem os SINOS DOBRM. Eles dobram por ti.


John Donne
“Nenhum homem é uma ilha isolada; cada homem é uma partícula do continente, uma parte da terra; se um torrão é arrastado para o mar, a Europa fica diminuída, como se fosse um promontório, como se fosse a casa dos teus amigos ou a tua própria; a morte de qualquer homem diminui-me, porque sou parte do gênero humano. E por isso não perguntes por quem os sinos dobram; eles dobram por ti”.


John Donne

Morte, não te orgulhes, embora alguns te provem
Poderosa, temível, pois não és assim.
Pobre morte: não poderás matar-me a mim,
E os que presumes que derrubaste, não morrem.
Se tuas imagens, sono e repouso, nos podem
Dar prazer, quem sabe mais nos darás? Enfim,
Descansar corpos, liberar almas, é ruim?
Por isso, cedo os melhores homens te escolhem.
És escrava do fado, de reis, do suicida;
Com guerras, veneno, doença hás de conviver;
Ópios e mágicas também têm teu poder
De fazer dormir. E te inflas envaidecida?
Após curto sono, acorda eterno o que jaz,
E a morte já não é; morte, tu morrerás.
John Donne

Preciso olhar para uma caveira num anel, se tenho uma no
rosto?


John Donne

Nenhum homem é uma ilha, inteira em sua totalidade. Cada um é um pedaço de um continente, uma parte principal. Se um torrão de terra for levado pelo mar, a Europa é que sente a perda, assim como se perdesse um promontório. Assim como se perdesse uma pequena parte de si própria ou de um amigo seu. A morte de cada homem me afeta, pois na humanidade me encontro envolvido. Portanto, não indague saber por quem o sino dobra, ele dobra por ti.
John Donne