CEIA DO SENHOR O BANQUETE  DAS LEMBRANÇAS - LC 22: 19-20


LC 22: 19-20
Os elementos da Ceia, o pão e o vinho são símbolos do corpo e do sangue de Cristo. Eles não se transubstanciam. Continuam pão e vinho. Cristo está presente na Ceia espiritualmente e não fisicamente como pensava Martinho Lutero. A Ceia do Senhor é mais do que um simples memorial, é um meio de graça.
1. Olhando para trás – A morte de Cristo (1 Co 11:26) – “Porque todas as vezes que comerdes este pão e beberdes o cálice, anunciais a morte do Senhor…”. A cruz de Cristo é o centro da mensagem cristã.
2. Olhando para frente – A segunda vinda de Cristo (1 Co 11:26) – “… anunciais a morte do Senhor, até que ele venha”. Há um momento de expectativa em toda celebração da Ceia do Senhor. A segunda vinda de Cristo é a grande esperança do cristão num mundo onde o mal tem feito tantos estragos.
3. Olhando para dentro – O auto-exame (1 Co 11:28) – “Examine-se, pois, o homem a si mesmo, e, assim, coma do pão e beba do cálice”. Não somos juízes dos outros, devemos examinar-nos a nós mesmos. Não devemos fugir da Ceia por causa do pecado, mas fugir do pecado por causa da Ceia.
4. Olhando ao redor – A comunhão (1 Co 11:33-34) – “…esperai uns pelos outros…”. Somos um só corpo, um só pão. Reunimo-nos como família de Deus, irmãos em Cristo, filhos do mesmo Pai. O amor deve ser o elo que nos une. Na Ceia encontramo-nos com o Senhor e com os nossos irmãos. Na Ceia os céus e a terra se tocam.
Há três perigos em relação à Ceia que precisamos evitar:
1. Participar da Ceia do Senhor indignamente (1 Co 11:27) – “Por isso, aquele que comer o pão ou beber o cálice do Senhor, indignamente, será réu do corpo e do sangue do Senhor”. A nossa dignidade é a consciência da nossa indignidade. Assentar-se à mesa do Senhor de forma leviana, irrefletida e despreparada é comer e beber juízo para si. Precisamos ter convicção do nosso compromisso com Cristo e com sua igreja antes de participarmos da Ceia.
2. Participar da Ceia do Senhor sem discernimento (1 Co 11:29) – “Pois quem come e bebe, sem discernir o corpo, come e bebe juízo para si”. O crente precisa discernir o Corpo de Cristo partido na cruz, ou seja, a obra da redenção em seu favor e também discernir o Corpo de Cristo, que é a igreja. Não podemos assentar-nos à mesa com mágoa dos irmãos. Isso gera fraqueza, doença e morte.
3. Participar da Ceia do Senhor sem autojulgamento (1 Co 11:31,32) – “Porque, se nos julgássemos a nós mesmos, não seríamos julgados…”. Não podemos ser condescendentes com nós mesmos nem complacentes com os nossos pecados. Devemos julgar-nos a nós mesmos para não sermos condenados com o mundo. Precisamos agir com rigor com nós mesmos e com profundo amor e paciência com os nossos irmãos.